Você usa o Skype?

Loading...

Pesquisar este blog

Seguidores

Páginas

Total de visualizações de página

Postagens populares

domingo, 5 de dezembro de 2010

as mensagens vazadas pelo WikiLeaks que citam o Brasil

Veja as mensagens vazadas pelo WikiLeaks que citam o Brasil
Site vem divulgando um conjunto de 251 mil documentos sigilosos dos EUA.
Leia o que os textos divulgados até agora falam sobre o Brasil.

Do G1, em São Paulo
imprimir
--

O site Wikileaks deu início no domingo (28) à divulgação de um conjunto de 251.287 relatórios sigilosos da diplomacia americana num período entre 1966 e 2010. Os documentos, publicados em cablegate.wikileaks.org, registram a comunicação entre embaixadas americanas em diversos países, incluindo o Brasil.

Veja, a seguir, uma lista das revelações feitas pelo site até agora que citam o Brasil.

03/12
Prisioneiros de Guantánamo
O governo do Brasil rejeitou um pedido do governo norte-americano para receber prisioneiros mantidos no campo de detenção de Guantánamo em 2005. Na época, Washington procurou vários países para tentar reassentar os presos por suspeita de crimes relacionados com o terrorismo. A informação foi confirmada pelo ministro Celso Amorim. Leia mais.

02/12
Exploração de urânio
Um relatório secreto adverte sobre descobrimento de munição com urânio empobrecido em um armazém das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e da existência, no norte do Brasil, perto da fronteira com a Colômbia, de explorações ilegais de diversos minerais, entre eles o urânio, em poder de grupos como as Farc. Leia mais.

1º/12
Apagão
Documentos revelados pelo site descartam a hipótese de um ataque de hackers terem provocado o apagão elétrico em novembro do ano passado que atingiu 18 estados brasileiros. Segundo informações dadas pela ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) e o Ministérios das Minas e Energia dadas à embaixada americana, o sistema tem uma rede separada e é protegido de tal forma que uma invasão seria facilmente rastreável. Leia mais.

Copa e Olimpíadas
Os Estados Unidos estão preocupados com a segurança da Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 no Brasil e veem oportunidades para empresas americanas no país. Leia mais.

Política de defesa
Documentos mostram críticas por parte do ex-embaixador americano no Brasil ao Plano Nacional de Defesa anunciado pelo presidente Luis Inácio Lula da Silva em dezembro de 2008. Leia mais.

Carla Bruni e relações diplomáticas
Uma mensagem do embaixador dos Estados Unidos em Paris indica que ele acreditava que o presidente francês Nicolas Sarkozy usava o status de celebridade de sua esposa Carla Bruni para impulsionar as relações diplomáticas entre França e Brasil. Leia mais.

30/11
'Inclinações antiamericanas'
Documentos mostram que o governo americano considera o Itamaraty como um adversário, com inclinações antiamericanas. Leia mais.

Tumor no nariz
Relatório que a embaixada dos EUA em Brasília cita que o presidente Lula teria oferecido tratamento no Brasil ao colega boliviano, Evo Morales, para tratar de um tumor no nariz. O governo da Bolívia negou que o presidente tem ou tivesse a doença. Leia mais.

29/11
Irã e Brasil
Documentos mostram que o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, citou o Brasil como comparação ao seu país para defender o programa nuclear que vem desenvolvendo. O exemplo foi dado pelo iraniano durante discussão com o líder russo Vladimir Putin, e aparece entre os documentos que serviam para a comunicação de Relações Exteriores dos Estados Unidos. Leia mais.

Terroristas presos
Documentos afirmam que a Polícia Federal brasileira prendeu muitas vezes pessoas que tinham ligações com o terrorismo, mas os acusou de crimes que não eram relacionados ao tema para evitar "estigmatizar a comunidade muçulmana do Brasil” ou prejudicar a imagem do território como um destino turístico. Leia mais.

'Elementos radicais genuínos'
Embora a comunidade muçulmana no Brasil seja formada majoritariamente por integrantes moderados, o país abriga "elementos radicais genuínos", alguns na região de Foz do Iguaçu (PR) e outros em São Paulo. Leia mais.

Nenhum comentário: